Mas afinal, você sabe o que é o Petya?

Conforme nosso comunicado de alerta emitido ontem, uma grande parte de dispositivos e servidores esteve sob ataque de mais uma variação letal de ransomware.

Uma série de organizações Européias, mais especificamente na Ucrânia, Rússia, Inglaterra e Índia, sofreram ataques massivos de um novo vírus de resgate. No entanto, com característica principal bem diferente do WannaCry, o Petya é cerca de um ano mais velho. Registrou-se no início de 2016 a primeira versão do Petya. Já o WannaCry veio a gerar seus primeiros impactos apenas neste ano.

O Petya tem por sua principal característica modificar o setor de inicialização do disco rígido. E como os tradicionais vírus de resgate normalmente só criptografam arquivos, vide o WannaCry, o Petya é diferente pois utiliza uma abordagem de criptografar alguns setores-chave do disco, impedindo assim que o sistema dê boot e que qualquer software acesse a lista de arquivos no disco.

E como o Petya agiu tão rápido?

Recentemente o WannaCry usou uma brecha no Windows. E não foi diferente com o Petya.

De acordo com diversas entidades de pesquisa e laboratórios especializados no combate ao cibercrime, o novo vírus chegou na rede de suas vítimas através de um programa de contabilidade ucraniano, o “MeDoc”. Em comunicado, o site oficial do software, confirmou que houve um ataque de vírus ligado ao programa.

Você pode ser atingido por isso?

A resposta podemos dar através de uma outra pergunta: Como você enxerga sua segurança?

Obviamente se você mantém sua postura de segurança ativa e observa as boas práticas de uso dos dados e da sua rede, você não tem tanto a se preocupar. No demais, é só manter os olhos atentos ao comportamento de navegação de seus usuários.

Quais as ações iniciais que você pode tomar?

1 – Bloqueio dos domínios:

2 – Bloqueio dos IPs

  • 95.141.115.108
  • 185.165.29.78
  • 84.200.16.242
  • 111.90.139.247

 

O que a Gantech e seus parceiros tem feito para livrar seus clientes do Petya?

Nossas parcerias tecnológicas, altamente qualificadas, posicionaram-se ativas e atentas aos impactos provocados pelo Petya. Nenhum incidente entre nossos clientes foi detectado, mas independentemente disso,  mantemos nosso nível de alerta e disponibilidade em grau máximo.

Confira abaixo os principais releases publicados por nossos parceiros nesta primeira ação contra o ransomware Petya:

A sincronia e inteligência oferecidas por suas ferramentas Wildfire® e Autofocus, possibilitaram aos clientes Palo Alto Networks, efetiva proteção sem o menor índice de instabilidade ou atraso. Em paralelo à isso, seu laboratório dedicado ao estudo avançado de ciberameaças, o UNIT 42, publicou sua análise inicial sobre o ocorrido. Confira em detalhes diretamente pelo link: https://researchcenter.paloaltonetworks.com/2017/06/unit42-threat-brief-petya-ransomware/


Em publicação recente em seu blog de segurança Secplicity, o CTO da Watchguard, Corey Nachreiner, fornece amplo detalhamento técnico sobre a ameaça. Além disso, a Watchguard reforça sua postura de defesa resiliente através de sua linha de appliances, dotados de licenciamento Total Security com cobertura específica para ameaças do tipo ransomware e APT, com o complemento de seu sensor para enpoints, o TDR (Threat Detection and Response).

Resultado de imagem para trustwaveCom abordagem técnica aprofundada e visão forense da situação, o SpiderLabs® da Trustwave também mostrou-se ativo e vigilante sobre a campanha de ransomware de ontem. Em seu blog, encontramos além dos detalhamentos técnicos da ameaça, diversos insights sobre como tratar a conformidade em segurança da informação, de maneira eficaz e objetiva. Mais detalhes pelo link: www.trustwave.com/Resources/SpiderLabs-Blog

Com postura proativa e visando sempre a segurança, firmamos nosso compromisso de manter nossos clientes 100% informados, com nossos olhos abertos e atentos às mudanças.

Atenciosamente,

Gantech Information Safety.